Meu Carrinho

0 ITEM(s)

TOTAL: R$ 0,00

IR PARA O CARRINHO

Quem Somos

O Psicanartes nasceu do desejo de incluir arte e psicanálise - sempre com afeto, criatividade e encantamento - no cotidiano das pessoas.

 

Com itens criados carinhosamente à mão, o que a gente quer daqueles que adquirem nossas riquezas é obter um suspiro, é despertar memórias, sorrisos e ser testemunha do projeto de vida de cada um.

 

Por ser uma criação manual, nosso tempo de produção costuma ser maior que o tempo de produção de itens em escala industrial. E é isso que dá o charme da coisa.

 

Para nós, é uma imensa alegria ver nossos itens em reuniões de equipes, grupos de estudos, encontros, seminários e congressos, na mão de um professor ou de um aluno. Vê-los ser uma ponte entre duas pessoas que se presenteiam e saber que neles poderão ser contadas as histórias que as pessoas desejarem contar.

 

Percebe? Não é só um caderno, um bloco de anotações, um marcador de páginas ou uma caneca. É um pedacinho de nós caminhando diariamente com os desejos de nossos clientes. Porque é isso que a gente acredita. Que cada um deve realmente fazer aquilo pelo qual pulsa. E só começamos a acreditar nisso porque somos a experiência viva de experimentar isso todos os dias.

SOBRE A ARTISTA GILMA GODINHO

 

A arte sempre foi para mim um estado de coisas, um estar em mim a partir dos efeitos que uma obra provoca. Desde muito pequena, o encontro com Van Gogh, Renoir, Bosch e Monet, dentre outros, me estimulou a apreciar obras em detalhes. Recordo-me das horas que passava contemplando quadros, observando cada sutil detalhe nele contido. Suas sombras, traços, cores.

 

O que deste encontro se produzia?

 

A arte é uma via pela qual as palavras ganham cores, sons e formas. Com ela e a partir dela é possível alcançar rapidamente uma ideia, uma história, uma emoção. Ela é uma arma poética para lutar contra a violência, como um exercício de liberdade contra forças repressivas. Arte é um tiro à queima-roupa que encontra o alvo antes mesmo de se supor alvo. A arte salva. A arte sã. A artesã.

 

Gosto de emprestar o meu olhar às sutilezas do cotidiano que, em alguma medida, aguardam um encontro.

 

Me encanto com encontros.

 

Não cresci em família de artistas, daqueles tradicionalmente re-conhecidos. A arte deles tinha outro caminho de expressão, pois durante toda vida laboral, usavam as mãos como ferramenta de seu próprio trabalho e sustento. A arte sustenta. Eis-me aqui numa regência única de cores e cortes e furos. Formas e usos.

 

Sou artista independente. Uso a arte para aproximar pessoas, despertar afetos, obter reconhecimento e sublimar. Ela também é terapêutica, você já deve ter essa compressão. Para algumas pessoas, ela é saída. Já para outras, chegada. Jacques Lacan já nos dizia que a "arte é um certo modo de organização em torno do vazio".

 

Psicanálise e Arte estão enlaçadas. Se entrecruzam. Se a psicanálise se propõe a olhar para tudo aquilo que está no intervalo entre o sujeito, isso inclui olhar para tudo o que este sujeito produz como discurso e na linguagem. É o sujeito e seu inconsciente aquilo que salta. Que chega primeiro. Arte e Psicanálise estão para mim como dois pilares fundamentais.

 

Te convido a conhecer um pouco mais das criações espontâneas. Desde a concepção artística até o item final. Vamos juntos?

SOBRE O MALABARISTA BRUNO JARDIM

 

Quais os caminhos que nos levam a fazer o que fazemos?

 

Se houvesse um aplicativo de geolocalização que pudesse traçar uma rota de como chegamos até aqui, nosso histórico mostraria uma curva há alguns anos pela estrada da amizade, logo antes daquela bifurcação entre a arte e a paixão em compartilhar histórias.

 

O piloto automático do dia a dia pode causar acidentes antes de nos darmos conta que já não prestamos atenção aos detalhes como antes. E é do desejo de estar atento aos movimentos da vida e do despertar para as possibilidades da arte que nasce meu encontro com o Psicanartes.

 

Da consciência que um item de arte não precisa necessariamente estar exposto em um museu para ser apreciado somente às tardes de sábado sob um ingresso caro, mas que a arte está presente nos pequenos detalhes diários: no café da manhã em uma caneca personalizada, na reunião de trabalho com o bloco de anotações, no lanche da tarde com o copo de suco.

 

O que é arte, senão a história contada em suas diferentes linguagens?

 

Com o Psicanartes contamos a história da Psicanálise através de itens que expressam nosso olhar psicanartístico com a proposta de, assim como nós, proporcionar aos nossos amigos e clientes caminhar junto a eles nessa direção do desejo.